Página inicial
Notícias

Notícias

Estufa vai garantir 120 mil pés de alface por mês

Marcos Morelli / SMCS
As estufas vão ocupar área de 10 mil metros quadrados e produção deve ter início até o fim do ano
A prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, viabilizou a implantação de estufas que estão em construção no distrito de Engenheiro Schmitt, e que terão a capacidade de produzir até 120 mil pés de alface por mês. As estruturas vão fortalecer produtores locais, abastecer o mercado regional e ainda contribuir com o Banco de Alimentos da cidade. 

As estufas estão em construção em uma área de quatro alqueires cedida à Cooperativa dos Produtores Rurais de Rio Preto (Cooperriopreto) por meio de chamamento público, pelo período de 10 anos. Como contrapartida para a utilização do espaço, os agricultores farão a doação mensal de uma tonelada de produtos aos Banco de Alimentos municipal.

A área utilizada pertence originalmente à Apae Rural e foi cedida em comodato à prefeitura de Rio Preto, pelo mesmo período der 10 anos. As estufas ocuparão uma área de 10 mil metros quadrados, divididas em cinco blocos de três estufas. Atualmente, as obras ocorrem na estrutura do primeiro bloco.

“A obra foi iniciada há 40 dias e já foi feito todo o trabalho de terraplanagem. Agora eles estão em fase de colocação de toda a estrutura que vai abrigar a cobertura da estufa e até o final do ano nós teremos todo o trabalho executado, pronto para iniciar o plantio”, afirma o secretário de Agricultura, Pedro Pezzuto Júnior. “Esse projeto vai proporcionar um ganho de escala muito grande para os produtores aqui do município, que terão capacidade muito boa para atingir os mercados locais e abastecer a merenda escolar”, completa o secretário, que destacou ainda a parceria com o governo estadual.

Enquanto a cessão da área foi viabilizada pela prefeitura, o financiamento para a construção foi conquistado por meio do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias 2, promovido pela Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento por meio da Cati, a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. “Esse programa auxilia cooperativas e associações para incentivar que o produtor fique no campo. Na prática, o Estado contempla os projetos com 70% dos recursos necessários, a fundo perdido. Nesse projeto das estufas, estão sendo investidos R$ 400 mil, sendo que R$ 280 mil é contrapartida do Estado”, afirma Fernando Miqueletti, engenheiro agrônomo da Cati.

A Cooperriopreto tem, atualmente, 84 produtores associados. “Isso aqui, além de agregar valores, vai fortalecer, tanto a cooperativa, quanto os produtores que são agregados à cooperativa”, diz o presidente da instituição, João Romero. O objetivo das estufas é garantir a produção contínua. “Na época de dezembro, janeiro, época de chuvas, geralmente não se produz folhosas, como a alface. A estufa protege a plantação da chuva e podemos ter produtos o ano todo”, completa. Nas estufas, os pés de alface serão plantados em 30 fileiras. A cada dia, será feita a colheita de uma dessas fileiras. O novo plantio é feito em seguida. Assim, a produção é diária e contínua.

Além da produção nas estufas, os produtores da Cooperriopreto vão utilizar as áreas descobertas para outros tipos de cultura, de acordo com a época do ano.

Daniel Martins
 
 
Sumário Executivo
  Título Estufa vai garantir 120 mil pés de alface por mês
  Órgão Responsável Secretaria de Comunicação Social
  Data de Publicação 12/09/2017