Programa de Metas


Segundo dados do IBGE, a população urbana no Brasil chega a 85% e, na medida em que as cidades vão crescendo em tamanho e em número de habitantes, as dificuldades de se manter o equilíbrio entre o uso dos espaços e o bem estar social também aumenta. 

A estrutura social das cidades reflete todo um processo de transformação urbana de um país plural e com características diversificadas cujos interesses são vários e não homogêneos e, portanto, raramente convergentes. Nesse novo ambiente emergem novos desafios, o que evidencia a complexidade do desenvolvimento com dimensões econômicas, sociais e ambientais. 

Diante desse novo quadro a tarefa do planejamento é ainda mais desafiadora, uma vez que não é possível confundir desenvolvimento com crescimento, nem tampouco privilegiar apenas uma de suas dimensões.

Dentre esses desafios está o estabelecimento de uma estratégia de desenvolvimento fundamentada em inclusão social, ciência, tecnologia e inovação, além da integração das políticas públicas como meio de garantir o envolvimento dos segmentos de intervenção pública em todas as dimensões necessárias a uma vida digna e autônoma dos cidadãos.

Não podemos esquecer que as dimensões sociais, econômicas, ambientais, culturais e políticas são pilares para a construção de uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva.

A nossa grande meta é trabalhar para organizar o espaço urbano de forma a torná-lo efetivamente integrado e com boa mobilidade urbana.  

Continuaremos trabalhando na otimização da gestão fiscal, sendo que nossas ações serão no sentido de reduzir a sonegação, intensificar os programas de educação fiscal e otimizar os gastos públicos. 

O Programa de Metas 2013/2016 ora apresentado, além de cumprir uma etapa do Planejamento Estratégico, atende à Emenda à Lei Orgânica nº 39 de 05/11/2008, e enseja o desejo expresso pela ampla maioria da população ao aprovar as diretrizes contempladas no Plano de Governo para o período em questão.