Prefeitura capacita 700 servidores para ‘Brigada contra o Aedes’

Cerca de 700 servidores da prefeitura foram convocados para combater o mosquito Aedes aegypti nos prédios públicos

17 de janeiro de 2019

Nesta quinta-feira, 17, cerca de 350 servidores da prefeitura participaram do segundo dia de capacitação do projeto “Brigada contra o Aedes”, ministrada pela equipe da Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal da Saúde. Na quinta-feira passada, outros 350 servidores já haviam participado do treinamento, que foi realizado no auditório da Unip.

No treinamento, a equipe ensinou os brigadistas a procurar focos do mosquito Aedes aegypti nos locais de trabalho e as formas de eliminá-los.

Durante o encontro, no auditório da Unip, os participantes assistiram a uma palestra e receberam folheto explicando o projeto e com dicas para controles alternativos de combate a possíveis focos do mosquito, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Cada prédio da prefeitura contará com dois brigadistas que vão vistoriar o local semanalmente e preencher o relatório de vistoria, informando os locais vistoriados, os recipientes encontrados, a quantidade de água e de larvas, além das providências tomadas. O relatório será enviado à Vigilância Ambiental.

“Trabalhamos com dois grandes objetivos. O primeiro deles é eliminar a presença do mosquito dentro dos prédios públicos e o segundo objetivo é fazer com que a população aprenda com o nosso exemplo e passe a cuidar melhor das suas casas e nas empresas”, afirmou o gerente da Vigilância Ambiental, Abner Alves.

O prefeito Edinho Araújo acompanhou a capacitação dos servidores e elogiou a iniciativa de formar a brigada contra o mosquito.

“Todos nós precisamos dar o exemplo. Temos que fazer a nossa parte e cobrar. Também não adianta fazer uma única vez e parar. É preciso ter esse cuidado toda semana. Essa batalha não vai ser fácil, mas eu tenho certeza de que o esforço de vocês vai valer a pena”, afirmou o prefeito.

Brigada Contra o Aedes
A criação da Brigada contra o Aedes está normatizada pelo Decreto nº 18.174, de 3 de dezembro de 2018, assinado pelo prefeito Edinho Araújo, que dispõe sobre a criação de equipes de trabalho no âmbito das administrações direta, indireta e fundacional. Pelo decreto, cabe às equipes brigadistas atuar de forma preventiva, identificar áreas de risco e divulgar para o público interno informações educativas sobre medidas para manter o ambiente livre de focos do mosquito.

Medidas para eliminação de focos
Durante a vistoria dos prédios públicos, os brigadistas devem verificar as áreas internas e externas, buscando recipientes que possam armazenar água parada, como pratos dos vasos de plantas, tampas de garrafas, pneus, baldes, copos descartáveis, entre outros.
Além disso, a Vigilância Ambiental também ensinou algumas medidas alternativas de controle, como tratamentos químicos, utilização de telas de mosquiteiro e areia em pratos de vasos e tratamento de água com sal de cozinha.
Outra medida alternativa são os peixes larvófagos, que a Vigilância cria e distribui a quem solicitar. A colocação dos peixes só é feita em recipientes que não são lavados frequentemente, como bebedouros de animais de grande porte, piscinas abandonadas, fontes e lugares públicos de grande acúmulo de água. A solicitação pode ser feita pelos munícipes por meio da ouvidoria (0800-770-5870), ou pelos agentes de saúde em sua rotina de trabalho. Os técnicos da Vigilância Ambiental avaliam e viabilizam a entrega.